Intérpretes

Entrevista
Bibliografia
Discografia
Áudio
Imagens
Vídeos
Multimédia
Programa Rádio
Programa Televisão
Outros
Dados de compositor
Filipe Quaresma, violoncelista do Quarteto Douro, nascido na Covilhã, iniciou os seus estudos musicais em piano aos seis anos de idade no Conservatório da mesma cidade. Mais tarde, aos doze anos ingressa na EPABI para estudar violoncelo com Rogério Peixinho. Em 1998 prossegue os seus estudos em Londres na Royal Academy of Music, como bolseiro dessa instituição. Estuda com David Strange e Mats Lidstrom até 2003, terminando o BMus e PostGraduate com as mais altas classificações, tendo­lhe sido conferido o prestigiado Diploma da Royal Academy of Music. Durante os anos em que estudou em Londres foi ainda escolhido para pertencer aos Solistas da Royal Academy of Music, grupo dirigido pela violinista Clio Gould. Filipe foi premiado em vários concursos: 1996, 1o prémio (solistas nível médio), 2001, 2o prémio (solistas nível superior) no concurso Prémio Jovens Músicos da RDP; 1997, 1o prémio no Concurso Internacional Júlio Cardona (classe B). Em Londres obteve: Norah Mary Turner Trust Award, Sir Arthur Bliss Prize, Foundation Award, S&M Eyres Scholarship, Guilhermina Suggia Scholarship e Bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian. Frequentou Master classes com: Luís Sá Pessoa, Eliaz Arizcuren, Márcio Carneiro, Robert Cohen, Anssi Karttunnen, Colin Carr, Jian Wang e Zara Nelsova. Integrou a Orquestra de Jovens da União Europeia durante quatro anos consecutivos, tendo tocado em todas as grandes salas europeias. Ainda em Londres foi convidado a tocar na London Sinfonietta, Orquestra Sinfónica de Londres e em 2003 esteve à experiência com a Orquestra Sinfónica da BBC. Com a Orquestra Sinfónica de Londres participou no concerto de celebração do 75o aniversário de Mstislav Rostropovich no Barbican Hall. Em Setembro de 2002 foi convidado a tocar no Open Day House do Wigmore Hall em Londres, e em 2003, a convite do violinista Joji Hattori, Filipe tocou com o Tokyo Ensemble. Como solista tocou com a Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Sinfónica Juvenil, Orquestra da Semana Internacional de Música do Luxemburgo, Remix­Orquestra, Orquestra Barroca da Casa da Música, Orquestra Filarmonia das Beiras e Remix Ensemble. Com este último, Filipe tem estreado e gravado inúmeras obras de compositores contemporâneos portugueses e estrangeiros, o que o leva a viajar por Lisboa, Berlim, Madrid, Estrasburgo, entre outros. Durante a sua experiência orquestral teve oportunidade de trabalhar com Vladimir Askhenazy, Bernard Haitink, Sir Colin Davis, Mariss Jansons, Zubin Mehta, Krzysztof Penderecki, Andre Previn, Seiji Ozawa, Stefan Asbury, Peter Rundel, entre outros. No âmbito da Música Antiga Filipe trabalha com os mais importantes músicos como Enrico Onofri, Rinaldo Alessandrini, Jap ter Linden, Fabio Biondi, Andrew Parrot, Harry Christophers e Laurence Cummings. Actulmente é o violoncelo principal da Orquestra Barroca da Casa da Música com a qual em 2007 se apresentou a solo, na Sala Suggia, sob a direcção de L. Cummings, com o concerto em sol M de Boccherini, e em Fevereiro de 2008, no Festival Suggia, interpretando o concerto em Lá M de C. P Bach, sob a direcção de H. Christophers. Filipe é violoncelista da Camerata Senza Misura e do Darcos Ensemble, com os quais desenvolve projectos musicais independentes e se apresenta regularmente em várias salas do país. Membro fundador do Quarteto Douro. Actualmente estuda com Natalia Gutman na Scuola di Musica di Fiesole (Florença).