José Luís Ferreira Em Foco no MIC​.​PT em Março
Este mês a secção Em Foco do MIC.PT é dedicada a José Luís Ferreira (1973-2018), para lembrar este compositor editado pelo MIC.PT, músico, professor e "performador", cujo desaparecimento precoce em Fevereiro do ano passado, com apenas 44 anos, deixou muito mais pobre a música portuguesa de arte e pesquisa.
Foi precisamente à inovação e à pesquisa na música de arte – acústica, electro-acústica, mista – que José Luís Ferreira plenamente se dedicou, tendo desenvolvido a essência da sua gramática sonora em directa ligação com a tecnologia e informática musical. No âmbito destes domínios afirmou a sua liberdade criativa, sempre par-tilhando os resultados das suas procuras e pondo em prática as premissas da sua Tese de Doutoramento – Música Mista e sistemas de relações dinâmicas – no contexto pedagógico, nomeadamente, do Laboratório de Música Mista e no âmbito de tantos outros projectos, por exemplo, com o Ensemble MPMP ou a Miso Music Portugal.
Como seria a próxima peça de José Luís Ferreira? Qual a direcção estética que tomaria? A estas e várias outras pergun-tas sobre o compositor responderam os participantes do Questionário do MIC.PT – alguns dos amigos, colegas, alunos, professores e colaboradores de José Luís Ferreira. As suas respostas criam uma espécie de "retrato-colagem" do com-positor que em Março apresentamos na secção Em Foco.
actividades dos compositores editados pelo MIC​.​PT
Cândido Lima

Este mês de Março irão decorrer duas estreias de obras de Cândido Lima, compositor editado pelo MIC.PT, cujo 80.º aniver-sário celebramos em 2019. No dia 23, no âmbito do concerto final dos Reencon-tros de Música Contemporânea 2019, organizados pela associação Arte no Tempo, a Orquestra das Beiras e Coro do CMACG com Dinis Sousa (direcção), Ângela Alves
e João Carlos Soares (direcção coral), interpretarão a es-treia a obra A Arca do Poeta (2018) para coro e orquestra infantil, sobre os poemas de Fernando Pessoa / Alberto Caeiro (O Guardador de Rebanhos). Outra obra em estreia de Cândido Lima é a peça para flauta e electrónica, Uma Flauta para Turim (2016), que será interpretada a 26 de Março no Recital Antena 2 no O'culto da Ajuda em Lisboa por Sílvia Cancela, flautista a quem esta obra é dedicada. Como revela Cândido Lima na nota de programa: "A obra é, pois, dedicada a uma flautista e a uma flauta em Turim, algures em viagem, talvez, para terras portuguesas... É uma espécie de substituição de um vazio psicológico ima-ginário por interposta pessoa; é uma espécie de subli-mação pessoal induzida por outra pessoa..."

Miguel Azguime

Em Março no O'culto da Ajuda em Lisboa serão estradas duas obras de Miguel Azguime, compo-sitor editado pelo MIC.PT. A primeira intitulada Du reste, un fil de sable (2019), para quarteto de percussão e electrónica, será apresentada pelo Drumming – Grupo de Percussão no dia 22 de Março. A segunda estreia, da pe-ça Et s’il à l’issue (2019) para flauta e electrónica, está incluída no programa do Recital Antena 2 de Sílvia Cancela, que terá lugar no dia 26. Este mês decorrerão ainda dois outros espectáculos com a música de Miguel Azguime. No dia 9 de Março o Teatro Helena Sá e Costa no Porto vai acolher a icónica ópera multimédia – Itinerário do Sal (2003-06) pelo Miso Ensemble (Paula Azguime, Miguel Azguime), Perseu Mandillo (imagem e câmara) e Andre Bartetzki (programa-ção vídeo). Adicionalmente no fim de Março – dia 30 – o Sond'Ar-te Electric Ensemble sob a direcção de Petter Sundkvist, com Frances M. Lynch (voz) e Miguel Azguime (narração), tocarão a obra (ThS)inking Survival Kit (2010). E no dia 8 de Março, Miguel Azguime vai dar uma Masterclass de Composição na ESMAE – Escola Superior de Música e Artes do Espe-táculo no Porto.
Ângela da Ponte

Macrophylla IV ​(2018) para acordeão e elec-trónica e Macrophylla V ​(2018) para ensemble e electrónica, são as duas peças de Ângela da Ponte, cujas estreias terão lugar a 15 e 17 de Março, no âmbito dos Reencontros de Música Contemporânea 2019 (7-23 de Março), organizados pela associação Arte no Tempo em Aveiro. As duas execuções da música desta compositora editada pelo MIC.PT decorrerão no contexto dos concertos – NMpNM · Nova Música para Novos Músi-cos – interpretados por alunos de ensino artístico especia-lizado de música com Dinis Sousa (direcção). "A minha música reflecte a experiência da vida e essa pode vir duma vivência pessoal, em forma de mitologia ou em poesia. Mas também a natureza inspira-me muito, talvez pelo facto de ter nascido e vivido numa ilha onde a paisagem é lindís-sima" – disse Ângela da Ponte ao MIC.PT em 2014.
Ângela Lopes

LILT ​(2019) é uma obra para fagote e electrónica de Ângela Lopes, cuja estreia decorrerá a 17 de Março nos Reencontros de Música Contempo-rânea 2019 (dias 7-23, Aveiro). Esta peça, encomendada pela associação Arte no Tempo, foi escrita em parceria com dois jovens artistas da Escola das Belas Artes do Porto: Inês Silva e Xavier Paes. Este concerto (NMpNM) incluirá ainda a música de: Ângela da Ponte, Tiago Cutileiro, Igor C. Silva, Pedro M. Rocha, Filipe Lopes, Carlos Caires, Ricardo Ribeiro e João Carlos Pinto. "O nos-so papel é o de formar, instruir, divulgar, dar a conhecer, manifestar-se pela diferença, intervir, corrigir, modificar, inovar, alterar caminhos, saber fazer bem a sua arte, não fazer concessões, ser um exemplo de mudança, ir sempre mais à frente..." – disse esta compositora editada pelo MIC.PT na Entrevista dada ao MIC.PT em 2012.

Igor C. Silva

A obra Blindspot Box ​(2018) para clarinete baixo, electrónica, vídeo e iluminação de Igor C. Silva está incluída no pro-grama do recital de mú-sica composta e improvisada de Maija Anttila – a decorrer no dia 1 de Março em Liége na Bélgica. Outra peça deste compositor editado pelo MIC.PT – Static on my fingers (2017) para um grupo de improvisadores, electrónica e vídeo – faz parte do espectáculo pelo Electroville Jukebox (Rodrigo Pires de Lima, João Dias e José Grossinho), que terá lugar a 8 de Março no Auditório CriArte em Carca-velos. Adicionalmente na primeira metade do mês, dia 12, Igor C. Silva participará como conferencista no Research Musical Language Day no Conservatório Real em Bruxelas. Na segunda metade de Março, dia 22, o Drumming – Grupo de Percussão interpretará a sua obra Sweet Data (no amnesia) (2018) para ensemble de percussão e elec-trónica, durante o concerto no O'culto da Ajuda em Lisboa, que incluirá também a música de Steve Reich, Karlheinz Stockhausen e Miguel Azguime.

Vítor Rua

Give Guitars to People é um espectáculo de improvisação meta-idiomática e projecto de Música Concreta por Vítor Rua (improvisador e com-positor editado pelo MIC.PT), Jochen Arbeit e NATürlich, que será apresentado no dia 16 de Março O'culto da Ajuda em Lisboa. "Give Guitars to People lida com «experiências sonoras» isoladas em que cada módulo é autónomo e auto-suficiente. É uma experiência de improvisação colectiva; três guitarras como meio central e privilegiado na procura de uma sonoridade única. A di-nâmica entre os músicos conduz a um encontro meta-idiomático, uma con-versa que une os seus múltiplos vocabulários numa estéti-ca de diversas variáveis que se funde em si mesma" – revelam na nota de programa os criadores do projecto. E continuam: "Não é necessário ouvir um rouxinol durante horas para se encantar; um canto isolado é suficiente. Bastam alguns segundos a escutar o som das cigarras para nos maravilharmos com uma textura tão refinada. Um único momento ouvindo as ondas do mar é relaxante..."
António Pinho Vargas

Sinfonia («subjetiva»)​ (2019) é um nova obra e um "desafio à história e à tradição orquestral" de António Pinho Vargas, cuja estreia, pela Orquestra Metropolitana de Lisboa sob a direcção de Pedro Amaral, irá decorrer no próximo dia 24 Março no Centro Cultural de Belém em Lisboa. No mesmo espectáculo será também apresentada uma outra obra deste compositor editado pelo MIC.PT – Six Portraits of Pain (2005) com Pavel Gomziakov no violoncelo – acompanhada por um filme da cineasta Teresa Villaverde (também em estreia absoluta; uma encomenda CCB). Como revelam os organizadores do concerto no site do CCB: "Teresa Villaverde inverte a habitual relação entre o filme e a «banda sonora», propondo uma criação cinematográfica realizada a partir da música de António Pinho Vargas. A música nasce primeiro, o filme surge depois, como «banda cinematográfica» de uma partitura musical. Ao vivo, orquestra e cinema em criação."
João Pedro Oliveira

Na primeira metade de Março João Pedro Oliveira realizará uma masterclass e confe-rência para compositores, enquanto Comppsitor Convidado para a série de con-certos na Northern Arizona University (Flagstaff, EUA), que terá lugar entre os dias 5 e 9. No contexto deste evento serão apresentadas duas obras deste compositor editado pelo MIC.PT: Mosaic (2014) para piano e electrónica por Ana Cláudia Assis (dia 5) e Timshel (2007) para ensemble e electrónica pelo Flageolet Ensemble (dia 9). Na segunda metade de Março João Pedro Oliveira será Compositor Convidado no 2019 John Donald Robb Composers' Symposium (University of New Mexico, Albuquerque, EUA), onde no dia 27 o Quarteto Arditti interpretará a sua obra Espiral de Luz (2005). Adicionalmente, a sua obra electroacústica com vídeo, Storms (2018), está incluída no programa do Diffrazioni Multimedia Festival, a decorrer entre 26 e 31 Março em Florença (Itália).
Paulo Bastos

Sou já do que fui​ (2019) é uma nova obra para piano a quatro mãos de Paulo Bastos – com-positor editado pelo MIC.PT – que será estreada pelo Duo Jost-Costa, a 8 de Março no contexto do Festival Camino de Genere (Teatro Comunale, Camino al Tagliamento, Itália). "Esta obra surge no contexto do projecto «Transmusica», uma produção transnacional de cinco compositores – originários de África do Sul, Alemanha, França, Itália e Portugal – e um duo de pianistas, o Duo Jost-Costa (França e Portugal). A peça versa o tema unificador da identidade numa perspectiva individual, a identidade do eu. Com efeito «sou já do que fui» é uma obra autobiográfica uma vez que aborda de forma consciente as sonoridades e traços gerais da minha música ao longo dos últimos anos. O título tem origem na seguinte écloga de Luís de Camões: «(...) E sou já do que fui tão diferente / Que, quando por meu nome alguém me chama, / Pasmo, quando conheço / Que ainda comigo mesmo me pareço (...)»" – revela Paulo Bastos.
Fernando C. Lapa

A obra Homero (2012) para narrador e piano a quatro mãos de Fernando C. Lapa para o conto de Sophia de Mello Breyner Andresen será apresen-tada a 24 de Março na Conferência-Concerto Rencontre na Casa de Portugal – André de Gouveia (Cité Internatio-nale Universitaire de Paris). Este evento organizado em torno desta escritora, cujo Centenário celebramos em 2019, conta com a participação de José Manuel Esteves (nar-ração), João Costa Ferreira e Bruno Belthoise (piano). Também este mês, no dia 30, no Teatro Sá de Miranda em Viana do Castelo o Quarteto Contratempus interpretará o espectáculo Variações a partir de um coração (2018) para quarteto a partir de melodias tradicionais, com música de Fernando C. Lapa, texto de Eduarda Freitas, encenação de Catarina Costa e Silva e iluminação de Mariana Figue-roa. Presentemente, este compositor editado pelo MIC.PT integra também os júris do Prémio de Composição Acor-deão 2019 (Folefest) e do Prémio Internacional de Com-posição Pedro de Araújo do Festival de Órgão de Braga.
Daniel Davis

No próximo dia 15 de Março no concerto organizado na Silk Street Music Hall pela Guildhall New Music Society (Londres, Reino Unido), o clarinetista Ed Holmes interpre-tará a obra analogous (2015) para clarinete solo de Daniel Davis. Presentemente, este compositor editado pelo MIC.PT está a realizar o Doutoramento em Composição na Guildhall School of Music and Drama sob a orientação dos compositores: Julian Philips e Richard Baker; tendo o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian.
 
MÚSICA HOJE NA ANTENA 2
8 / 03, à 1h00 da madrugada
Na 1.ª Pessoa: Ângela Lopes

O Música Hoje prossegue o ciclo Na 1.ª Pessoa, uma série de entrevistas com compositores portugueses da actualidade, quinzenalmente à conversa com Pedro Boléo para nos revelarem vários aspectos do seu universo sonoro e musi-cal. Neste programa, a entre-vistada é a compositora Ângela Lopes. Compositora de música de câmara, peças orquestrais, música electro-acústica e música para audiovisuais e multimédia, Ângela Lopes conta-nos o seu percurso enquanto intérprete, compositora e professora, as suas pesquisas estéticas e os seus projectos musicais mais actuais.
22 / 03, à 1h00 da madrugada
Na 1.ª Pessoa: Vítor Rua

O Música Hoje prossegue o ciclo Na 1.ª Pessoa – neste programa vai entrevistar Vítor Rua, compositor e improvisador, que apresenta a 16 de Março no O'culto da Ajuda o seu mais recente projecto de improvisação e performance Give Guitars to People, em parceria com NATürlich e Jochen Arbeit, interpretado recentemente em Berlim. Música Hoje dará a ouvir alguma da sua música, enquanto procurará conhecer melhor o itinerário e as ideias deste compositor multifacetado.
Novas Partituras no MIC​.​PT
A edição de partituras pelo MIC.PT tem como alvo a distribuição de par-tituras de obras de compositores portugueses, fomentando a sua es-colha por parte de músicos e o seu estudo no meio académico.

Henrique Piloto (HPil0001)
Oh, que eco que aqui há! (2017) · vozes brancas
Tomás Sousa Ferreira (TSFer0001)
Na Mão de Deus (2017) · coro misto
Ângela da Ponte (APon0002)
Divertimento for viola solo (2017) · viola
novos CD no MIC​.​PT
Em Cante · música do Alentejo

Peças:
Entre o vento e a seara · Ao romper da bela aurora · Ó águia · ...se não chover primeiro · Limoeiro · Meu lírio roxo do campo · Ceifeira, linda ceifeira · O almocreve · Alentejo, terra sagrada do pão · A passarada
Amílcar Vasques-Dias · piano
Joaquim Soares e Pedro Calado · vozes

Edição: Musibéria
estreias recentes
Alejandro Erlich Oliva
Pequeña Canción y Danza
versão para contrabaixo e quarteto de cordas
11 / 02, Festival CriaSons, Palácio Foz, Lisboa
Alejandro Erlich Oliva · contrabaixo;
Quarteto Lopes-Graça
Luís Pacheco Cunha e Maria José Laginha · violinos
Isabel Pimentel · violeta
Catherine Strynckx · violoncelo
Alejandro Erlich Oliva
Tres Danzas Argentinas
11 / 02, Festival CriaSons, Palácio Foz, Lisboa
Quarteto Lopes-Graça
Luís Pacheco Cunha e Maria José Laginha · violinos
Isabel Pimentel · violeta
Catherine Strynckx · violoncelo
Samuel Pascoal
Opus Brevis
11 / 02, Festival CriaSons, Palácio Foz, Lisboa
Alejandro Erlich Oliva · contrabaixo
Quarteto Lopes-Graça
Luís Pacheco Cunha e Maria José Laginha · violinos
Isabel Pimentel · violeta
Catherine Strynckx · violoncelo
João Pedro Oliveira
Tensão-Deformação
versão para flauta, piano, guitarra, violoncelo, percussão
17 / 02, Lisboa Incomum
Tesseract Ensemble
Monika Streitová · flauta; Marco Fernandes · percussão
Pedro Rodrigues · guitarra; Miguel Rocha · violoncelo
Ana Cláudia Assis · piano
Paulo Bastos
Prelude to a Rock and Fugue
18 / 02, Palácio Foz, Lisboa
Kla-Vier Duo
Patrícia Ventura e Sónia Amaral · piano
Ricardo Ribeiro
Récit I
22 / 02, ON – Neue Musik Köln, Alemanha
Nuno Aroso · percussão
Tiago Cutileiro
Tudo Nunca Sempre o Mesmo Diferente Nada (TNSoMDN)
23 / 02, Teatro Municipal da Guarda
Sónia Baptista, Leonor Keil e Sara Carinhas · encenação
Inês Simões, Maria João Sousa, Nélia Gonçalves,
Maria Ermida · interpretação
]agrupamento ars ad hoc[
Nuno Peixoto de Pinho
Agrypnia
23 / 02, Pavilhão Centro de Portugal, Coimbra
Orquestra Clássica do Centro
Luís Carvalho · maestro
Luís Antunes Pena
White Keys Music
26 / 02, Studio Ernest Ansermet, Genebra, Suíça
Steffen Krebber · curador convidado
Solistas do Ensemble Contrechamps
David Poissonnier · engenheiro do som
Álvaro Salazar
Drei Kurze Plagiaten für Gerhard S
26 / 02, O'culto da Ajuda, Lisboa
Elsa Silva · piano
Christopher Bochmann
Turbilhão
27 / 02, Colégio Mateus d'Aranda, Évora
Grupo de Música Contemporânea da Universidade de Évora
Hugo Ribeiro

Hugo Ribeiro – compositor editado pelo MIC.PT – é vencedor do Prémio Musa, iniciativa desenvolvida para celebrar o centenário de Sophia de Mello Breyner Andresen, pelo Movimento Patrimonial Pela Música Portuguesa – MPMP, em colaboração com o Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto. O Júri do Concurso – João Pedro Oliveira, Pedro Teixeira e Martim Sousa Tavares – decidiu também atribuir uma Menção Honrosa ao compositor Miguel Jesus. As obras vencedoras partem conceitualmente da poesia de Sophia de Mello Breyner Andresen, sendo escritas para um conjunto vocal a cappella. O concerto de laureados do Prémio Musa vai decorrer no próximo dia 22 de Março no Teatro Tivoli BBVA em Lisboa. No dia 25 de Março no Museu Nacional da Música em Lisboa, terá lugar uma Mesa-Redonda moderada por João Almeida, com os vencedores do Prémio, os membros do Júri e a maestrina Clara Alcobia Coelho.
Christopher Bochmann

A obra Divertimento (2011) para orquestra de Christopher Bochmann será apresentada no próximo dia 2 de Março no Auditório Municipal Ruy de Carvalho em Carnaxide. O programa do concerto, na interpretação pela Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras com Marta Xavier (clarinete) e sob a direcção deste compositor editado pelo MIC.PT, inclui também obras de Igor Stravinsky, Aaron Copland, Albert Roussel e Carlos Seixas (Tocata e Minuete na orquestração de Christopher Bochmann). No mês passado – dia 27 no Colégio Mateus d'Aranda em Évora – o Grupo de Música Contemporânea da Universidade de Évora estreou a obra Turbilhão (2019) para 12 instrumentos de Christopher Bochmann. Adicionalmente, o compositor é Presidente do Júri no contexto do II Concurso Nacional de Composição Coral Manuel Emílio Porto, organizado pelo Município das Lajes do Pico em parceria com o MIC.PT e a APEM, cujo objectivo é promover a criação musical para coro, valorizando, simultaneamente, a literatura portuguesa. (mais informações abaixo)
Sara Carvalho

As duas peças para piano e piano de brincar de Sara CarvalhoPostlude, still in Fugue (2009) e Perto do coração selvagem (2014) – estão incluídas no programa do recital da pianista búlgara Borislava Taneva que terá lugar no próximo dia 19 de Março no Luxemburgo. Como diz esta compositora editada pelo MIC.PT na entrevista dada ao MIC.PT em Dezembro de 2014: "A forma como eu me aproximo de uma ideia musical / sonora implica sempre um processo sensorial enorme. Nesse processo vou delimitando e estruturando o meu material, no qual selecciono as técnicas que melhor podem comunicar as minhas ideias. E é nesta manipulação do material que vou perce-bendo o seu potencial."
Ricardo Matosinhos

A obra The horn calls you back! (2018) para duas trompas e piano de Ricardo Matosinhos – compositor editado pelo MIC.PT – é vencedora da Featured Division da edição de 2018 do Concurso de Composição da Associação Inter-nacional de Trompa. No mês passado foi lançado pela MSR Classics um novo disco: Portuguese Perspectives – Music for Oboe, Piano and Strings. Nesta nova edição a oboísta Courtney Miller, a pianista Minji Kwon, Scott Conklin e Katie Wolfe (violino), Christine Rutledge (viola) e Anthony Arnone (violoncelo), interpretam a música de Compositores Portugueses (Sérgio Azevedo, Eurico Carrapatoso, Anne Victorino D’ Almeida, Manuel Pedro Ferreira, António Fragoso), incluindo a obra Os Contos do Oboé (2017) para oboé e piano de Ricardo Matosinhos.
Luís Antunes Pena

tracking reality # 1 (2019) para três intérpretes, projecção em tempo real e oito transdutores é uma nova obra de Luís Antunes Pena (encomenda pela Arte no Tempo / Festival DME / AFEA – Conservatório de Música de Seia), que será estreada no próximo dia 4 de Março na Casa da Cultura de Seia no contexto do Festival DME – Dias de Música Electroacústica pelo Nadar Ensemble (Bélgica). Com recurso a electrónica, vídeo e luzes, este espectáculo, que se repetirá no dia 7 no Teatro Aveirense nos Reencontros de Música Contemporânea 2019, contará ainda com obras dos reputados compositores: Natacha Diels, Pierre Jodlowski e Michael Beil. Este mês a peça im rauschen, cantabile (2012) para contrabaixo e electrónica de Luís Antunes Pena – compositor editado pelo MIC.PT – está incluída no programa do Festival for Experimental Music and Intermedia CEMICircles (1-2 de Março, Texas, EUA).

Jaime Reis

Em Março a obra Fluxus, pas trop haut dans le ciel (2017) de Jaime Reis será apresentada durante dois concertos no âmbito do Prémio Russolo 2018, do qual este com-positor editado pelo MIC.PT é um dos laureados. O pri-meiro espectáculo terá lugar no dia 10 no Festival Licen-ces em Paris e o segundo, no dia 29, no Centro de Arte Contemporânea Winzavod em Moscovo. Outra obra de Jaime Reis, Fluxus, Drag (2015) para violoncelo e contrabaixo, está incluída no programa dos concertos pelo Duo Contra-cello – Ver os Sons, Ouvir Imagens – a 15 e 17 de Março, no Lisboa Incomum e Teatro Helena Sá e Costa no Porto. Este projecto inclui ainda peças de: Clotilde Rosa, Ângela Lopes, Isabel Soveral, João Pedro Oliveira e António Chagas Rosa. A 7 de Março no Uni-versidad de los Andes (Colômbia), Jaime Reis realizará uma conferênica – 2002-18, do ciclo Síntese a Sangue Inverso-Inverso Sangue – acompamhada por um concerto com a sua música.
Prémio Autores 2019 · SPA

A Sociedade Portuguesa de Autores anunciou no passado mês de Fevereiro a lista de nomeados ao Prémio Autores 2019. Os nomeados na categoria Música – Melhor Trabalho de Música Erudita são: Hugo Vasco Reis pelo trabalho discográfico O Espaço da Sombra (2018), dedicado à guitarra portuguesa, em que este compositor editado pelo MIC.PT se apresenta como autor, intérprete e produtor; António Pinho Vargas (compositor editado pelo MIC.PT), pela obra Memorial estreada a 15 de Dezembro de 2018 pela Orquestra Metropolitana de Lisboa, num concerto organizado para celebrar o 20.º aniversário da atribuição do Prémio Nobel a José Saramago; e Nuno Côrte-Real pela ópera Canção do Bandido (2018), com libreto de Pedro Mexia e estreada no passado mês de Novembro no Teatro da Trindade em Lisboa (co-produção: Teatro da Trindade – Inatel / Teatro Nacional de São Carlos / Temporada DARCOS).
Recital Antena 2 no O'culto da Ajuda SÍLVIA CANCELA (FLAUTA)

No dia 26 de Março, no O'culto da Ajuda em Lisboa, irá decorrer mais um Recital no contexto do ciclo organizado pela Miso Music Portugal em colaboração com a Antena 2, no âmbito do qual músicos portugueses incontornáveis interpretam obras de referência, lado a lado com a música de compositores portugueses da actualidade, com significativas estreias absolutas, apresentado também os instrumentos acústicos em combinação com as transformações electrónicas. Esta vez a intérprete em destaque é a flautista Sílvia Cancela, que apre-sentará três obras em estreia absoluta dos compositores editados pelo MIC.PT – Erso (2013) de Nuno Peixoto de Pinho, Uma flauta para Turim (2016) de Cândido Lima e Et s'il à l'issue (2018-19) de Miguel Azguime; e ainda obras das duas compositoras: Doina Rotaru e Kaija Saariaho. O concerto terá a transmissão directa na Antena 2.
Reencontros de Música Contemporânea 2019

A segunda edição dos Reencontros de Música Contemporânea, organizados pela associação Arte no Tempo, terá lugar durante o mês de Março (dias 7-23) no Teatro Aveirense. Em destaque estarão, uma vez mais, Cândido Lima (compositor editado pelo MIC.PT) e, de regresso a Portugal, Beat Furrer, com estreias absolutas do primeiro e estreias nacionais do segundo, mas também Tiago Cutileiro (compositor editado pelo MIC.PT), com a produção da sua ópera TNSoMDN – Tudo Nunca Sempre o Mesmo Diferente Nada, estreada no passado mês de Fevereiro. Os Reencontros que espelham a contínua aposta da Arte no Tempo no futuro da música, incluem a grande participação de jovens músicos e compositores de várias gerações, muitos deles editados pelo MIC.PT: Ângela da Ponte, Ângela Lopes, António Chagas Rosa, Carlos Caires, Diogo Novo Carvalho, Filipe Lopes, Igor C. Silva, João Pedro Oliveira, Jorge Peixinho, Luís Antunes Pena, Pedro Amaral, Pedro M. Rocha, Ricardo Ribeiro, Rui Dias, Tiago Cutileiro, entre vários outros.
Música de Compositores Portugueses pelo Sond'Ar-te Electric Ensemble

Toc, Toc, Toc (2009) para narrador, ensemble instrumental e electrónica de João Madureira, e (ThS)inking Survival Kit (2010) para voz, ensemble instrumental, electrónica de Miguel Azguime – são as obras dos dois compositores edi-tados pelo MIC.PT que fazem parte do concerto pelo Sond'Ar-te Electric Ensemble, que decorrerá no próximo dia 30 de Março no O'culto da Ajuda em Lisboa. O programa do espectáculo inclui ainda a peça Chant d’Ailleurs
de Alejandro Viñao. Esta vez o Sond'Ar-te Electric Ensemble, sob a direcção de Petter Sundkvist e com a participação especial de Frances M. Lynch (voz) e Miguel Azguime (narração), será composto por: Sílvia Cancela (flauta), Nuno Pinto (clarinete), Elsa Silva (piano), Vítor Vieira (violino) e Filipe Quaresma (violoncelo). Como habitualmente a reali-zação da electrónica em tempo real é da responsabilidade do Miso Studio. Desde a sua estreia no Festival Música Viva 2007, o Sond'Ar-te Electric Ensemble dedica-se ao desen-volvimento e à interpretação de um novo reportório de compositores portugueses.
Novidades MIC​.​PT
II Concurso Nacional de Composição Coral Manuel Emílio Porto

O Município das Lajes do Pico e o Grupo Coral das Lajes do Pico, em parceria com o Centro de Investigação & Informação da Música Portuguesa (MIC.PT) e com a Associação Portuguesa de Educação Musical (APEM), organizam o II Concurso Nacional de Composição Coral Manuel Emílio Porto, com o objectivo de promover a criação musical de obras para coro, valorizando simultaneamente a literatura portuguesa. O Concurso destina-se a compositores de qualquer nacionalidade, residentes em Portugal há mais de cinco anos e sem restrição de idade, e compreenderá as categorias de Coro Misto e Vozes Brancas. Os Membros do Júri são: Christopher Bochmann (Presidente), Jorge Matta e Marco Torre. Os interessados deverão entregar as suas obras até ao dia 31 de Maio, garantindo o integral cumprimento do Regulamento do Concurso.
Actualidade
ENCAPE 2019 – Encontro Nacional de Composição e Análise musical: Perspectivas Educacionais
Chamada de Trabalhos

O Conservatório de Música de Coimbra (CMC), o Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança (INET-md) e a Universidade de Aveiro (UA) realizam em Coimbra, nos dias 26 e 27 de Junho, o ENCAPE 2019 – Encontro Nacional de Composição e Análise Musical: Perspectivas Edu-cacionais. Esta iniciativa tem como objectivo principal reunir diferentes intervenientes (professores, investigadores e outros interessados) para debater, desenvolver ideias e disseminar investigação do ensino da música nas áreas da Composição e da Análise Musical. Adicionalmente,  pretende-se transversalidade temática e incentivo ao diálogo entre as diferentes áreas do ensino artístico. Neste sentido a organização do ENCAPE 2019 convida à submissão de comunicações em português, sobretudo de propostas integradas nas temáticas do Encontro. O prazo para a submissão de resumos é o dia 7 de Abril.
Festival CriaSons

No dia 2 de Março no Auditório da Casa Municipal da Cultura em Seia, o Festival CriaSons segue com o seu 4.º concerto, com o programa Ouvi, claramente ouvido o lume vivo desenhado por Eurico Carrapatoso. O compositor apresenta neste espectáculo um repertório dedicado em especial ao quarteto de cordas. O músico decide então celebrar “a vida e a arte”, em concertos onde introduzirá o seu cunho pessoal, mas sempre em diálogo com outras obras. Este programa conta assim com cinco peças – três de Eurico Carrapatoso, incluindo a estreia absoluta de uma nova versão de Llaços, Contradanças e Descantes; uma de Fernando Lopes-Graça e uma de Miguel Jesus (estreia absoluta de Elogio da Morte sobre poemas de Antero de Quental). A interpretação das obras será realizada por Angélica Neto (soprano) e pelo Quarteto Lopes-Graça.
José Carlos de Sequeira Costa (1929-2019)

No final de Fevereiro faleceu o pianista e pedagogo português José Carlos de Sequeira Costa, aluno do compositor José Vianna da Motta (1868-1948) e fundador do Concurso Internacional de Música Vianna da Motta. Como intérprete, actuou com múltiplas orquestras de prestígio e lançou CDs interpretando obras de vários compositores (Bach / Busoni, Beethoven, Vianna da Motta), entre os quais as integrais de piano e orquestra de Schumann, Chopin e Rachmaninov. Desde 1976 que José Carlos de Sequeira Costa era professor de piano na Universidade do Kansas, nos Estados Unidos, onde residia até hoje.
Agenda Catálogo de Partituras MIC.PT Espaço Crítica para a Nova Música MIC.PT EN MISOMUSIC.COM MIC.PT Twitter IAMIC Facebook